Thursday, April 24, 2008


A mesmice de sempre
Andarilho sem rumo
Delírio mais íntimo
Chama ardente
Este lugar onde estou
Mas onde estou?
Vaga noção da realidade
Limite tênue de um sonho
Toque suave que queima
O gosto do cheiro
Mas que cheiro?
O nada, o vazio
O escuro e o frio
A fumaça que cega
O sangue que corre
O vento que sopra
Tenta levar a fumaça
A fumaça que é a alma
A alma de todo ser humano
Sempre sem rumo
No íntimo ardente
Estou na realidade do sonho
Queima o cheiro vazio do frio
Cega alma corr
Sopra a fumaça da alma humana
Eu sou a fumaça.

2 comments:

Shibuya said...

Whoal!!!
quase me deixou sem palavras!!!
tah... minto, me deixou sem palavras, quando eu encontrar algumas eu comento

Ivo said...

opa preciso acender o fogo estou completamente sem fumaça por aki pow ^^
hehehehe...

ai ai q piada inutil neh ;P