Monday, November 16, 2009

Tempos conturbados se passaram. Não posso dizer que já se acabaram por completo, mas, definitivamente, estou numa calmaria, mesmo que muuito suave. Grandes indecisões passaram pela minha cabeça e bagunçaram completamente minha vida. Em compensação, outras partes vão maravilhosamente bem. Porém, por conta das coisas boas, e por falta de cuidado meu, deixei algumas relações minarem um pouco e o convívio em casa tem sido meio turbulento.
Escolhas são coisas para a vida, e devem ser feitas sabiamente. Contudo, nem sempre é algo fácil. Quanto mais jovem, mas difícil é, e a probabilidade de dar errado é muito maior. Quando a decisão está tomada, é apenas uma questão de gosto e teste, mas se deixar muito tempo passar, é necessário primeiro terminar o que já começou. Nem sempre vale a pena largar tudo para trás.
E por que não, duas escolhas serem tomadas? Por que devemos seguir apenas um caminho? Eu decido por mais de um. Não sei qual será o mais forte, por enquanto, mas sei que não seguirei apenas uma coisa. Quero sentir confiança no que faço e para onde vou, mesmo que não tenha muita certeza do destino final.
Além desta perturbação, há apenas uma coisa que realmente me acalma e me faz esquecer do reto. Alguém que me conforta e me dá forças pra seguir em frente. Garanto que o apoio é muito importante, e agradeço a todos que me incentivam, mas a presença ali, todo dia, faz uma diferença gigantesca! Cada passo a ser tomado vem sendo pensado mil vezes e discutido. As vezes tenho medo de depender, mas, quando vou ver, já estou envolvida demais para udar de idéia. Não que seja algo mal, mas apenas tenho medo de perder minha identidade e personalidade. Relações são trocas, algo mútuo, seção de lados. Planos são feitos e o futuro é pensado. Se esse futuro um dia vai chegar? Não há como saber. O futuro de amanhã, daqui um ano, daqui dez, daqui algumas horas. Não há como saber. Só sei que prefiro viver o agora e planejar muitos "agora"s futuros felizes.
Mas está relação desgasta outras, e por negligência minha. Quero passar a maior quantidade de tempo que puder com quem eu amo e me apoia, mas não percebo a hora passar. Chego tarde, nem sempre volto pra casa, mal vejo meus pais. Eu moro longe, o caminho é muito difícil. Nem sempre eu faço por mal, mas venho desgastando minhas relações familiares caseiras. Não o culpo em momento algum, pois sei ue tem a melhor das intenções e muitas vezes me manda embora mais cedo e sempre me pede para ligar. Mas minha negligência vem custando caro. Espero que nas férias consiga estabilizar todas as relaões pendentes.
E falando em relações, algumas foram rompidas, especialmente na faculdade. Na verdade, é um dos únicos lugares fora família que mantenho relações. Ou pelo menos tento. Trabalho em grupo, para variar. Eu faço, eu sou chutada do grupo, e professor escuta reclamações da minha pessoa injustamente feitas. Eu me descontrolo, quase surto, mas sobrevivo. Novas relações foram feitas e espero que mais sinceras que as anteriores. Três anos não mostram que são as pessoas. Bem capaz que uma vida inteira também não seja suficiente. É em momentos de aperto que você descobre quem sãoa s pessoas. E normalmente, dependendo de quem você for, você descobre que você é o panaca de bom coração e justo ali, mas que sempre se dá mal exatamente por isso.
Em rítimo de festa, pelo menos as novas relações são sinceras, e as vezes até demais. Isso é bom. Sei que não haverá fofoquinha nem mentiras sendo ditas pelas minhas costas. Tudo vira pela frente e de frente.
Mudar de horário na faculdade também foir algo que me desestabilizou completamente. Os horários se perderam e o senso de responsabilidade meu, que já estava meio falho, hoje em dia é quase inexistente. Não me sinto motivada na faculdade e o horário é péssimo. tenho dormido a manhã inteira, faço quase nada na faculdade, corro ao meu ponto de apoio, volto para casa, fico acordada até tarde e durmo até a hora do almoço no dia seguinte. E o ciclo se repete. Não chego mais no horário na faculdade. O curso não me interessa mais tanto e muitas pessoas eu não gostaria de encontrar por lá. mas preciso ir. Já ratou com problema com faltas, não no máximos, mas quase no limite possível. Não posso mais me ausentar em algumas aulas específicas. Tudo culpa minha, mas ao mesmo tempo culpa da falta de interesse e insentivo. Só sei que não posso desistir agora, no penúltimo ano. Apenas mais 12 meses e o final desse semestre. Vou me reerguer e fazer bem feito. Por que eu posso muito mais do que eu tenho feito. Tenho segurado muita coisa sozinha ou quase sozinha. Ano que vem vou fazer de tudo para fazer bem feito. sei que todo ano muitas promessas são feitas para anos seguintes e sempre me promonho a várias coisas que acabo não cumprindo, mas último ano de faculdade é diferente. Pode ser mais fácil, como pode ser bem mais difícil. É mais fácil pois nem todos os dias tem aula, e no primeiro semestre a maior parte é só atendimento e não apresentação de conteúdo novo. POde ser mais difícil pois terei mais tempo livre para fazer os trabalhos, mas minha concentração é péssima e posso simplesmente não fazer e deixar tudo para a última hora e fazer mal feito. É um risco a correr. Além da faculdade, é necessário um estágio urgente. tudo a ser resolvido ano que vem. Este ano, ameta é terminar tudo o que já foi começado. Colocar um ponto final neste ano e não deixar nada pendente.
Outra meta é arrecadar dinheiro, conseuir me virar sozinha em algumas coisinhas e aproveitar assim que possível todo o esforço feito. Aproveitar seu resultado. Viagem talvez. Quem sabe.

1 comment:

Sayuri said...

Fê,é bem assim mesmo:no início do ano,estamos empolgadas,queremos fazer as coisas;mas quando chega no final,dai vem o cansaço,a falta de vontade.Tudo isso é normal,não se sinta mal por se sentir assim.Respira fundo e pensa "Já está acabando,falta pouco",e lute só mais um pouquinho.
Pensa que foi isso que você escolheu como profissão,e que agora você tem q se concentrar nisso.
Cara,mais do que ninguém,eu entendo isso de vc largar todo o resto por uma pessoa.Aliais,muitas das brigas em casa foram por causa disso.Mas dai(n eh receita da felicidade,foi como eu resolvi o problema),e conversei com meus pais,e tbm cedi um pouco~Os pais sabem que os filhos crescem e que não vão fikar pra sempre na cola deles,mas nunca se acostumam quando a hora chega.
Quanto ao pessoal da facu~desencana~sei que é chato pra caramba ir para um lugar onde n gosta e n conhece ngm,mas desencana,faça as suas coisas e tenta fazer bem-feito,por vc~pra vc olhar akele trabalho com orgulho,não por nota ou pelos professores,por ngm,além de vc~é o q vc gosta,certo?Então à luta!Não deixe que essas pessoas,que provavelmente,n valem mta coisa,desanimem vc~
Bom linda,eu te desejo que tudo melhore pra vc e mta força tbm.
Fique bem,e não desanime viu!
bjokas =****
Beca =D