Sunday, March 15, 2009



Deixado de lado, mas não esquecido.

***

Leve como o vento
Me sinto apesar de tudo
Como fios de cabelo a voar com a leve brisa da tarde
Com o brilho do sol penetrando em meu ser
Realçando a beleza de cada milímetro,
De cada tufo, de cada fio
Posso me desfazer com um toque, com o ar
Assim como posso me tranforamar na escultura mais bela
Algo disforme mas suave
Até mesmo grosseiro mas leve
Posso ser muitas coisas
Mas, principalmente, eu mesma
Leve como os fios de cabelo ao vento.

1 comment:

Shibuya said...

há beleza no que voce escreveu, mas me deixou a impressão(posso ter me enganado, precisaria ser mais analitico), que demonstra um pco de trsiteza e solidão, mas mesmo assim permanece uma sensação de liberdade, ou desejo de liberdade

well, eh o q eu tenho pra dizer,

beijos X***